Celebra-se hoje, 15 de Maio, o Dia Internacional da Família.

dossiês especiais

Esta data, que homenageia a instituição familiar como um núcleo essencial para a formação social de todos os indivíduos, foi eleita pela Assembleia Geral da ONU em 1993, mas celebrou-se pela primeira vez em 1994.

Com esta efeméride mundial e anual, as Nações Unidas procuram:
• Divulgar a importância da família na sociedade;
• Sublinhar o caráter basilar da família na educação das crianças;
• Elevar o amor, o respeito e a união como elementos essenciais para o relacionamento de todos os componentes da família;
• Alertar a sociedade para os direitos e responsabilidades das famílias;
• Sensibilizar os cidadãos para os problemas sociais, económicos e demográficos que influenciam a família;
• Sensibilizar a os cidadãos sobre os diferentes tipos de família existentes em todo o mundo.

Do ponto de vista da proteção dos interesses económicos das famílias, que são importantes agentes económicos, dispõem de rendimentos e tomam decisões financeiras, esta efeméride pode ser uma excelente oportunidade para promover o debate familiar sobre o uso do dinheiro, procurando combater a falta de competências de literacia financeira.

É imprescindível que todos contribuam para o equilíbrio financeiro dos orçamentos domésticos e que conversem sobre dinheiro e finanças, que conheçam onde e como se está a gastar o dinheiro. É fundamental que todos saibam como poupar, economizar e multiplicar os rendimentos. Não menos importante é que todos reconheçam que o dinheiro não cai do céu, é necessário “ganhá-lo” e isso custa tempo, trabalho e esforço.

Compreender o valor do dinheiro, tendo presente que se trata de um meio que pode ajudar a realizar sonhos e objetivos, se bem administrado, é um passo que a família deve dar em conjunto. Seguir-se-á o uso da melhor ferramenta que as famílias podem dispor para organizar a sua vida financeira: o orçamento familiar. Conseguir elaborar e praticar esse orçamento deve ser um objetivo e um desafio.

Ao discutir o tópico dinheiro, a família estará a contribuir para a educação financeira de todos os seus elementos, criando-se inclusivamente um bom momento para explicar aos mais novos o valor e como gerir o dinheiro. A inclusão de todos na gestão da vida familiar é um acto de amor, partilha e compreensão.

As famílias são essenciais para a promoção de sociedades pacíficas, esclarecidas e inclusivas. São os portos de abrigo que o mundo, hoje tão diferente, mais precisa.

Deixe uma resposta