Se tiver dúvida, continue pagando aluguel

Noticias

Antes de dar o prefixo e sair do ar – como se dizia das emissoras de rádio antigamente, ao término da transmissão diária – o então presidente Michel Temer sancionou lei que pode elevar a 50% a multa para quem desistir da compra do imóvel na planta. Agora, Pedro Guimarães, novo presidente da Caixa Econômica Federal (CEF), avisa que os juros do crédito habitacional para a classe média serão de mercado. Fica claro que a casa própria ficou ainda mais distante do cidadão brasileiro. Na dúvida, continue pagando aluguel.

Antes do presente de despedida de Temer e do Congresso Nacional, quem desistisse do imóvel pagaria entre 10% e 20% do valor pago pelo imóvel adquirido na planta. Já era um valor bem salgado, mas 50% é um desfalque na renda de qualquer família! Com relação ao financiamento da CEF, a questão é definir claramente quem está na classe média. Há que considerar gastos como escola particular para os filhos, pois os impostos não asseguram ensino público de qualidade.
Como o desemprego ainda está na casa dos dois dígitos e emprego com registro em carteira é um quase um mito como o unicórnio, assumir um financiamento caro é um risco que deve ser muito bem avaliado.

O ideal é juntar dinheiro suficiente para dar uma entrada substancial, que reduza o valor a ser financiado. Quanto maior a entrada, menor o desembolso mensal.
Quem pretende comprar o imóvel e se sente seguro para solicitar um empréstimo, deve estabelecer um teto de comprometimento de sua renda, após fazer um orçamento detalhado.
Vencida esta etapa, compare as taxas de financiamento nos simuladores dos bancos. E converse com o gerente de sua conta-corrente. Instituições financeiras costumam oferecer melhores taxas para quem é considerado bom cliente – sem dívidas, com uma considerável carteira de investimentos etc.

Se tiver terrenos, automóveis, casas ou apartamentos que possam ser vendidos, podem ser usados para abater o valor do imóvel desejado. Da mesma forma, vale a pena utilizar parte dos investimentos, pois não renderão tanto que superem o Custo Efetivo Total (CET) do crédito imobiliário.

Quem tiver emprego formal pode utilizar o Fundo de Garantia para quitar parte do preço do imóvel ou reduzir o valor das prestações.

Lembro que o risco de comprar imóvel em construção (na planta) não se restringe à multa em caso de desistência. A proteção legal do consumidor ainda é muito frágil se houver atraso na obra ou até sua paralisação, por problemas da incorporadora ou da construtora (às vezes, uma só companhia é responsável pelo projeto, documentação legal e construção).

Em resumo, pense bem, faça as contas, simule custos antes de comprar um imóvel financiado.

In Folha de São Paulo

Maria Inês Dolci

08.01.2019

Deixe uma resposta