Celebra-se hoje o Dia Mundial da Poupança

dossiês especiais

Celebra-se, anualmente, a 31 de Outubro o Dia Mundial da Poupança. Este ano, mais do que nunca, é essencial que se debata e reflita sobre a importância de poupar e o seu impacto na gestão do orçamento familiar. A CONSUMARE defende que ainda é possível poupar. 

Esta efeméride mundial foi criada com o intuito de alertar os consumidores para a necessidade de disciplinar gastos e de amealhar alguma liquidez, de forma a evitar situações de sobre-endividamento. A ideia de se estabelecer uma data especial para promover a noção de poupança surgiu em outubro de 1924, durante o primeiro Congresso Internacional de Economia, em Milão.

A taxa de poupança

Celebrar o Dia Mundial da Poupança é informar, alertar e aconselhar sobre poupar, salientando que poupar é não gastar hoje para acautelar e usufruir no futuro.

A taxa de poupança sobre o rendimento disponível das famílias está hoje em níveis historicamente baixos, mesmos nos países com maior estabilidade económica. A atual guerra entre a Ucrânia e Rússia, a grave crise energética e ainda as consequências da pandemia obrigam os consumidores a fazer novas avaliações das suas finanças pessoais.

Mundialmente, a maioria das famílias tem rendimentos muito baixos o que não lhes permite destinar um valor do seu orçamento para a poupança, desvalorizando-se, cada vez, a importância de desenvolver hábitos de amealhar algum dinheiro extra. Na verdade, a maior parte das famílias não tem sequer um fundo de emergência, montante que serve para fazer face a dificuldades e situações imprevistas, como de doença ou desemprego.

Sugerimos que, no final de cada mês, seja feita uma avaliação rigorosa ao orçamento familiar e se declare guerra ao desperdício, com vista a economizar e aumentar a verba mensal destinada à poupança. Queremos partilhar consigo algumas dicas para começar a constituir o seu mealheiro:

  • 1º Passo: delinear como e onde gasta o seu dinheiro;
  • 2º Passo: estabelecer prioridades;
  • 3º Passo: definir os seus objetivos e sonhos;
  • 4º Passo: Fazer um orçamento familiar, controlar os seus rendimentos e despesas da família;
  • 5º Passo: Controlar os gastos para que estejam de acordo com os seus ganhos;
  • 6º Passo: envolver toda a família na elaboração do orçamento.

Estamos juntos!

Deixe uma resposta