COVID-19: conheça os primeiros sintomas da doença e como agir

dossiês especiais, Membros, Noticias

Em termos médios, os cidadãos infectados como o novo coronavírus apresentam sintomas de infeção respiratória aguda ligeiros a moderados:

• Febre (Temperatura superior a 37,5ºC)
• Tosse
• Dificuldade respiratória (Falta de ar)

Em casos mais graves  a infeção pode causar pneumonia grave com insuficiência respiratória aguda, falência renal e de outros órgãos. Os sintomas podem durar até cinco semanas.

Os cidadãos com suspeita de COVID-19 devem contactar o seu centro de saúde preferencialmente por telefone e, caso exista no seu país de residência linha telefónica de apoio médico exclusiva para os sintomas desta doença, utilizar primeiramente este tipo de serviço de saúde.

A Organização Mundial da Saúde e os Governos nacionais aconselham a que apenas se desloquem à urgência hospitalar quando for absolutamente necessário ou por indicação do médico ou enfermeiro após o referido contacto telefónico.

Se lhe for indicado isolamento, o cidadão deve cumprir as medidas recomendadas, que são, em geral, as seguintes:

Durante o período de isolamento não se dirija ao trabalho, à escola ou a espaços públicos, nem utilize transportes públicos.
Deve permanecer numa divisão própria da casa e evitar contacto com outros em espaços comuns.
Não partilhe pratos, copos, utensílios de cozinha, toalhas, lençóis ou outros artigos pessoais.
Não convide pessoas para sua casa. Caso seja urgente falar com alguém, faça-o por telefone.
Evite deslocações desnecessárias a serviços de saúde e ligue antes para averiguar alternativas.
Lave as mãos frequentemente, com água e sabão durante, pelo menos 20 segundos.
Deve utilizar uma máscara quando estiver com outras pessoas.
Tape a boca e o nariz com um lenço descartável, deite o lenço no lixo e lave as suas mãos.
Meça a sua temperatura diariamente e informe se surgir um agravamento dos sintomas.
Coloque os resíduos produzidos num saco de plástico diferente dos restantes. Encha apenas até 2/3 e feche bem.

As pessoas são consideras curadas quando apresentam dois testes diagnósticos consecutivos negativos. Os testes são realizados com intervalos de 2 a 4 dias, até haver resultados negativos. A duração depende de cada doente, do seu sistema imunitário e de haver ou não doenças crónicas associadas, que alteram o nível de risco.

Pela sua saúde e pela dos outros, fique em casa.

 

Deixe uma resposta